Transparência vai a Vigo

No dia 9 de Abril, alguns elementos do Hacklaviva deslocaram-se a Vigo para uma sessão de partilha de informação no âmbito do tema Transparência. Outra motivação era conhecer o Hackerspace na  Cova de los Ratos, o Kaleidoskopio.

Ambiente na Cova dos Ratos

A experiência ganhou logo sentido na visita ao espaço e na conversa informal sobre a actividade de cada um. A área disponível é bastante generosa e muito bem decorada e acolhedora. Aí desenvolvem ateliers de pintura, cozinha e tecnologia. Sim, porque a tónica dominante é mesmo a natureza, a alimentação saudável. Também a igualdade de género é um tema forte na cultura e programa deste Hackerspace.

Na apresentação do projecto Transparência participaram poucos elementos, mas a atenção dada à exposição foi bem visível. As perguntas e o retrato do poder da “Comunidad autonomica”, com reparo especial à da Galiza, deixaram passar a ideia de que a corrupção grassa e, impune, floresce aqui e ali. O grave era os próprios estarem convencidos que nem sequer tinham dados da actividade dos organismos e do poder político público para recolher e confrontar com o sentimento e impressão.
Esta ideia de ausência de matéria da “coisa” pública soou-nos a algo de estranho. Aliás, depois de termos exposto os objectivos do projecto, os presentes foram unânimes em anunciar que na matéria de Transparência estávamos a anos-luz e que a Galiza era um caso atípico.

As principais ideias vinculadas na nossa exposição, e que aliás são as que enformam o projecto desde a sua criação, foram:

  • em termos de objectivos, procurar não tomar posição, porque disponibilizar a informação é dar a possibilidade a qualquer pessoa de explorar e fazer as suas próprias reflexões e associações, e isso nada tem a ver com o interpretar ou forçar uma leitura;
  • no que se refere às fases, mencionámos a da recolha de dados oficiais, a do tratamento/ modelação, e, por último, a da visualização;
  • sobre os produtos já resultantes, mostrámos os datasets e ainda uma versão beta de um site para pesquisa da informação dos deputados e das suas intervenções;
  • finalmente, referimos genericamente as ferramentas usadas, mas aguardámos para a sessão da tarde, mais prática, o sumo dos detalhes.

Seguiu-se um almoço com umas “empanadas caseras” muito saborosas. Havia de algas, de legumes.

Almoço ligeiro, mas saboroso

Reconfortados, pegámos de novo no batente e passámos à parte mais divertida – mostrar os scrapers, explicar o que fazem e explorar dados disponíveis. Picados pelo facto de terem referido existir um vazio no que respeitava a dados, pesquisámos e demos com o gato. Afinal havia um rabo de fora. E tal como seria razoável esperar, existem registos das sessões do parlamento da Comunidad aqui, basta escolher a legislatura e lançar a pesquisa para obter o conjunto das transcrições desssa legislatura em concreto. Esta descoberta ainda deu mais entusiasmo e sentido à explicação.

Parlamento de Galicia - pesquisa das sessões parlamentares

De imediato, descarregou-se um pdf a título de exemplo, aplicou-se o script em python que usámos para as transcrições das sessões do parlamento português e descobrimos uma interessante e surpreendente analogia na estrutura dos textos. Ou seja, muito provavelmente, as sessões são geridas pelo mesmo software e modelo de estruturação e composição da informação. Com pequenos retoques, a aplicação usada numa situação pode ser utilizada num outro projecto. Esta é a beleza deste tipo de comunidades e iniciativas de cidadãos.

In loco e numa situação bem real, testemunhámos as linhas de força do Transparência Hackday – partilhar, reutilizar, criar sinergias.

Além da excelente hospitalidade, ficou o espaço para trocas mais regulares e a ideia de que o conformismo tolda por vezes a visão e embarga a acção. Não foi necessário número de magia nem espionagem para tropeçar nos dados. Lição: a informação é pública, o problema é estar pouco visível e apresentar-se pouco convidativa. Se queremos retirar algum dado, temos empreitada para anos. Mostrarmos que conhecemos essa informação e que questionamos o exercício do poder e nos dispomos a escrutinar as decisões e opções dos nossos governantes conduzirá necessariamente a mais atenção por parte dos Estados a estas questões.

Nota: Todas as fotos aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *