Hackday: sessão #11

No último sábado, entre o Clube Literário do Porto e o HardClub Café desenrolou-se mais uma sessão de trabalho do Hacklaviva antes de Agosto. O objetivo principal do encontro foi fazer balanço das atividades e lançar novas ideias e projetos.

Open Data Europa

Este tema abriu a conversa por se tratar de uma iniciativa da União Europeia com realização recente de um concurso Open Data Challenge que deu a conhecer bons e originais projetos na área dos dados abertos (vale a pena ver os premiados!). O Hacklaviva também concorreu com o demo.cratica

Foi referido que as iniciativas dos repositórios opendata nos 27 partem das mais diversas entidades: Hackerspaces, Fundações, entidades mais ou menos institucionalizadas. No caso português, não existe ainda qualquer repositório, havendo iniciativas de cidadãos dispersas e de atividade não regular.

Neste cenário, começa a impor-se como prioritário uma organização e congregação de esforços para uma visibilidade maior do opendata português.

A iniciativa de reunir datasets dos vários países europeus num único local está a ser liderada pela Open Knowledge Foundation com a qual o Hacklaviva já tem contactos e à guarda da qual já entregou os seus datasets, alojados e submetidos no ckan.net, mas cuja consulta e interface público é o website Publicdata.eu

publicdata.eu

demo.cratica

Relativamente a este projeto e a outros que possam vir a ser desenvolvidos ou vir em complemento, existe uma excelente infraestrutura e o experiência de webmaster do José Monteiro a favor.

Está a ser realizado o parser dos deputados em python e json ao contrário do original em php. Está em fase final e pretende-se automatizar a atualização da informação dos deputados.

A recetividade do demo.cratica foi boa, tendo conhecido dois picos: o do lançamento e o das eleições, altura em que o website do parlamento.pt esteve offline. O canal que amis contribuiu para passar a mensagem foi o Facebook com 300 shares logo no arranque. Já o twitter não foi muito útil nessa difusão.

Dados que se considerará no futuro para enriquecer a informação consultada, terão a data de falecimento dos deputados e ainda se está a pesquisar a eventualidade de inserir timestamp nas intervenções das sessões para que seja possível ligar transcrição e parlamento.tv Esta vai ser uma sugestão do grupo à equipa de redação das transcrições.

Nuno Moniz, que desenvolve um projeto no âmbito da semântica e do RDF, tem na mira o parsing do Diário da República. O repto foi lançado no sentido de haver uma troca e aproximação já que o demo.cratica pode funcionar como uma campo excelente para aplicação de resultados que forem sido conseguidos no âmbito deste projeto.

Propostas de ação

O Ricardo planeia dedicar-se à conclusão do parser dos deputados com o Pedro. Paralelamente, conta apostar agora nas visualizações e normalização dos datasets.
A Ana está a fazer os logos dos partidos com representação na Assembleia em vetorial, já que a qualidade inicial de alguns ficheiros era muito fraca. Pretende focar depois a sua atenção nalguns plugins de visualização dos deputados, como consulta interativa de deputados por género, partido e governo.

A Cláudia, o Victor e o João, vão concentrar esforços no levantamento e visualizações de da evolução das freguesias e concelhos ao longo dos tempos com base nas listas oficiais para as eleições desde 1975.

O Eduardo está a orientar o trabalho para o mapeamento de notícias da área parlamentar ao longo do tempo via tagging. Pensa usar uma API, tendo sido recomendada a do Destakes por ter arquivo e por estar bem feita. O projeto Veronica da universidade do Porto materializa de certa forma a ideia proposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *