Hackday: sessão #12

Transparência Hackday volta em grande com nova dinâmica e mais projectos.
Com programa previamente delineado, o encontro na GESTO, foi preenchido com algumas apresentações e discussão de próximos passos.

Apresentações

Na primeira apresentação pelo Ricardo Lafuente o foco foi o demo.cratica em jeito de ponto da situação e novidades. Algumas dificuldades ligadas à deteção e correção de erros, à mudança do padrão dos ficheiros criados pelo Parlamento.pt, foi introduzida uma opção de edição que permitirá no futuro corrigir de forma muito intuitiva gralhas e criar relações discurso/ deputado durante o processo de leitura.

Paralelamente, um sistema de revisões assente no histórico das edições que podem ser revertidas.

A prioridade deste projeto são as sessões, que poderão ser enriquecidas com a ligação aos vídeos do serviço Canal Parlamento.

O Nuno Moniz prosseguiu com o tema Open Legislation em Portugal decorrente do trabalho de investigação que está a realizar e que consiste na análise do Diário da República, série I, e brevemente série II. O objetivo é chegar a um padrão que permita extrair entidades (organizações, pessoas, documentos). Lamentavelmente os Diários estão em pdf com a agravante de terem texto em duas colunas. A sua participação no evento http://transparencycamp.org em Washington DC, referiu que a opinião unânime é a de banir o formato pdf e obrigar os Estados a escolherem formatos abertos.

Mapping foi o tema que se seguiu com Victor Cardoso a apresentar as possibilidades ligadas ao mapping sobretudo com tecnologia Openlayers e Drupal.

Inês Silva trouxe uma apresentação do Parliament Watch com origem na Alemanha, mas recentemente adotado ou em fase de adoção por outros países europeus, inclusive Portugal. O conceito é grosso modo o de estreitar as relações deputados/ cidadãos com recurso a um sistema de perguntas e respostas sem mediadores. Portanto, as respostas dos deputados são publicadas ipsis verbis. No caso das questões, é feito um filtro no sentido de identificar duplicados e são corrigidos erros ortográficos se for o caso. A plataforma de publicação de questões e respostas compomete-se em duas horas a garantir o ciclo cidadão questiona – deputado responde – cidadão recebe resposta. Porém, o deputado é livre de responder ou deixar em aberto a questão que lhe é dirigida, pelo que em tempo real sabe-se quantas questões foram dirigidas a que deputado, a quantas respondeu e qual o teor e conteúdo de umas e outras.

Novos projetos

No arranque e durante o encontro, ainda houve espaço para propor novos projetos.

Projeto acessibilidade para pessoa com deficiência

Programa para mapear dificuldades na deslocação de peões com deficiências motoras, com necessidade de se deslocarem de cadeira de rodas. O programa será capaz de definir o trajeto ótimo de um ponto a outro tendo em conta a distância e o número de obstáculos.

Projeto sobre Administração Pública e cidadão

Visa que cidadãos partilhem dicas e soluções para problemas comuns relacionados com a AP, poupando tempo e ajudando a que todos se orientem melhor nos serviços públicos, tornando a AP verdadeiramente mais transparente e fácil de usar.

Casas devolutas

Pretende criar versão portuguesa do Casas tristes de Espanha, mas tentar ir mais longe, pontuando também casos de sucessod e recuperação de prédios devolutos. Ficou estabelecida como tecnologia a usar: Drupal, openlayers, tilemill para criar os próprios tiles.

Próximos passos

  • Criação de domínio próprio transparenciahackday.org
  • Instalação de ferramenta de gestão de projetos: OpenAtrium, de base Drupal para discutir aspetos associados a um projeto, organizar e distribuir tarefas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *