Como foi 2016 e o que aí vem em 2017!

dwd-balanco2016

O ano está mesmo, mesmo a terminar, e sentámo-nos para olhar para o que fomos fazendo ao longo do ano. 2016 pode ter sido muita coisa para muita gente; para nós, foi sobretudo produtivo!

O destaque do ano, como de costume, foi a organização do Open Data Day, uma iniciativa global materializada em eventos por todo o mundo onde se aborda o que de bom se faz na cena dos dados abertos. Este ano pudemos contar com a generosa ajuda logística da Open Knowledge International e da UPTEC, bem como o fantástico contributo da AMA (que trata de manter no ar o dados.gov.pt) e da Creative Commons Portugal em proporcionar-nos um excelente debate de ideias sobre o que é isso da “abertura” e que desafios nos esperam.

Expandindo a ideia do que pode ser uma fonte de dados, experimentámos aventurar-nos pelas frentes da literatura e do texto em geral, um tema que já nos é familiar de anos anteriores:

  1. iniciámos um Guia Anti-anglicismos para proporcionar alternativas a expressões comuns que vamos usando e uniformizar as traduções que fomos fazendo.
  2. conseguimos traduzir coletivamente uma boa parte do English As She Is Spoke
  3. procurámos formas de mapear os locais em obras literárias
  4. articulámos as relações entre termos mencionados nas sessões do Parlamento
  5. continuámos a traduzir artigos relevantes para a agenda dos dados abertos
  6. engendrámos uma ferramenta para conseguir ouvir a prosódia de um discurso e testámos com um discurso de Cavaco Silva:

    Phonation

    Hum

  7. fizemos um rastejador para obter um dicionário de divisão silábica
  8. escrevemos sobre o que fazemos nos encontros, sobre o que nos motiva e tentamos explicar as variadas frentes em que nos movemos aqui

Quem nos tem seguido sabe que não andamos nisto dos dados por um encanto pela técnica; o nosso objetivo é empregá-los para conseguir visualizar e perceber melhor o mundo que nos rodeia e a sociedade que integramos. Assim, idealizámos e concretizámos dois projetos de visualização:

Continuámos a afinar a nossa querida Central de Dados:

Terminámos o ano a integrar a representação portuguesa no Open Government Partnership Summit em Paris, onde participámos em hackathons, talks e tratámos de conspirar conjuntamente com os nossos cúmplices franceses dos Regards Citoyens para ajudar a atualizar o interface do seu portal de dados sobre a Assembleia Nacional francesa.

Nos Députés

Para 2017, pretendemos continuar com o ritmo atual de encontros e concretizações. Estamos também desejosos de entrar de modo mais ativo na defesa pública da agenda dos dados abertos, através da representação portuguesa da Open Knowledge International.

Antes do ano terminar, dois apelos:

  • Marca já na agenda: o Date With Data volta em janeiro no dia 14! Na antevéspera voltamos a mandar um lembrete.
  • Está ainda aberto o período de contributos para o Global Open Data Index, o índice mundial que a Open Knowledge desenvolve. Este ano, são novamente necessários os contributos da comunidade para classificar os datasets que existem, podes ajudar?

Queremos aproveitar para agradecer a todos os que tornam o Date With Data possível e incrível: a UPTEC PINC por acolher sempre os encontros que organizamos; e todos que participaram, alguns viajando quilómetros para se juntarem a nós.

Bom ano novo, e junta-te a nós nas próximas Dates ;)

1 pensamento em “Como foi 2016 e o que aí vem em 2017!

  1. Pingback: Date With Data #14: Ano novo, dados novos | Transparência Hackday Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *