Open Data Day: está quase! Anda daí

Nós é mais dados! Dia 4 de março juntamo-nos à celebração mundial dos Dados Abertos para mais um sábado em cheio. O Open Data Day é uma iniciativa da Open Knowledge International, um dia por ano para mostrar, ensinar e levar mais além a agenda dos dados abertos.

A Open Knowledge Portugal, em colaboração com o Date With Data e o Transparência Hackday, organiza o Open Data Day 2017 no Porto. Um dia de actividades, apresentações e convívio sobre o tema dos dados, aberto a toda a gente.

O Open Data Day Porto 2017 está organizado em duas partes. A manhã é dedicada às mãos na massa: o Jorge Gustavo Rocha, membro do Open Street Map (OSM), vai-nos orientar numa mapping party pela cidade!

O Open Street Map é um mapa mundial colaborativo e aberto, tem como missão ser um repositório aberto de dados geográficos a nível mundial. Vamos juntos perceber melhor como funciona e como podemos contribuir para o projeto. Os dados que reunirmos durante a manhã serão o nosso contributo para tornar o Open Street Map um recurso ainda mais precioso. Para participar, basta inscrever-se e trazer um telemóvel com GPS ;)

A tarde do Open Data Day é voltada para a discussão de projetos na área dos Dados Abertos. A equipa da OKI Portugal terá as honras de abrir a tarde com uma introdução aos Dados Abertos: o que são, qual a sua importância e como contribuir para este ecossistema. Seguem-se as apresentações de Jorge Gustavo Rocha sobre o Open Street Map, de João Tremoceiro sobre os dados abertos na Câmara Municipal de Lisboa; e da Wikimedia Portugal sobre o papel dos dados abertos na Wikipedia e outros projetos da organização.

Queres festejar connosco? Inscreve-te aqui.

Podes ler sobre o ODD 2016 e o 2015, e saber como foi.

Sábado, 4 de março de 2017 no UPTEC PINC, Porto:

Manhã — Mãos na massa
09:45—10:00: Receção & café
10:00—12:30: Mapping Party: vamos mapear a cidade com o Open Street Map Portugal
Para esta atividade será necessário trazer portátil e smartphone (vamos usar o GPS, sem necessidade de ligação à internet ;)

Tarde — Talks
14:00—14:25: Receção & café
14:30—14:40: Sobre o Open Data Day – Open Knowledge Portugal
14:45—15:20: Open Street Map – Jorge Gustavo Rocha (OSM PT)
15:25—16:00: Dados abertos em Lisboa – João Tremoceiro (Câmara Municipal de Lisboa)
16:05—16:40: Wikimedia Portugal
16:45—17:20: Conversa aberta
17:30—18:00: Café & networking

O Open Data Day 2017 é organizado voluntariamente pela equipa da OKFN Portugal e pelos membros do Transparência Hackday Portugal. Um obrigada a todos os oradores que gentilmente aceitaram o nosso convite para participar. Agradecemos também o apoio incansável da UPTEC PINC por generosamente ceder o seu espaço e infraestrutura para o evento.

O cartaz do Open Data Day 2017 foi desenhado por Joana Ventura Lopes.

Como foi 2016 e o que aí vem em 2017!

dwd-balanco2016

O ano está mesmo, mesmo a terminar, e sentámo-nos para olhar para o que fomos fazendo ao longo do ano. 2016 pode ter sido muita coisa para muita gente; para nós, foi sobretudo produtivo!

O destaque do ano, como de costume, foi a organização do Open Data Day, uma iniciativa global materializada em eventos por todo o mundo onde se aborda o que de bom se faz na cena dos dados abertos. Este ano pudemos contar com a generosa ajuda logística da Open Knowledge International e da UPTEC, bem como o fantástico contributo da AMA (que trata de manter no ar o dados.gov.pt) e da Creative Commons Portugal em proporcionar-nos um excelente debate de ideias sobre o que é isso da “abertura” e que desafios nos esperam.

Expandindo a ideia do que pode ser uma fonte de dados, experimentámos aventurar-nos pelas frentes da literatura e do texto em geral, um tema que já nos é familiar de anos anteriores:

  1. iniciámos um Guia Anti-anglicismos para proporcionar alternativas a expressões comuns que vamos usando e uniformizar as traduções que fomos fazendo.
  2. conseguimos traduzir coletivamente uma boa parte do English As She Is Spoke
  3. procurámos formas de mapear os locais em obras literárias
  4. articulámos as relações entre termos mencionados nas sessões do Parlamento
  5. continuámos a traduzir artigos relevantes para a agenda dos dados abertos
  6. engendrámos uma ferramenta para conseguir ouvir a prosódia de um discurso e testámos com um discurso de Cavaco Silva:

    Phonation

    Hum

  7. fizemos um rastejador para obter um dicionário de divisão silábica
  8. escrevemos sobre o que fazemos nos encontros, sobre o que nos motiva e tentamos explicar as variadas frentes em que nos movemos aqui

Quem nos tem seguido sabe que não andamos nisto dos dados por um encanto pela técnica; o nosso objetivo é empregá-los para conseguir visualizar e perceber melhor o mundo que nos rodeia e a sociedade que integramos. Assim, idealizámos e concretizámos dois projetos de visualização:

Continuámos a afinar a nossa querida Central de Dados:

Terminámos o ano a integrar a representação portuguesa no Open Government Partnership Summit em Paris, onde participámos em hackathons, talks e tratámos de conspirar conjuntamente com os nossos cúmplices franceses dos Regards Citoyens para ajudar a atualizar o interface do seu portal de dados sobre a Assembleia Nacional francesa.

Nos Députés

Para 2017, pretendemos continuar com o ritmo atual de encontros e concretizações. Estamos também desejosos de entrar de modo mais ativo na defesa pública da agenda dos dados abertos, através da representação portuguesa da Open Knowledge International.

Antes do ano terminar, dois apelos:

  • Marca já na agenda: o Date With Data volta em janeiro no dia 14! Na antevéspera voltamos a mandar um lembrete.
  • Está ainda aberto o período de contributos para o Global Open Data Index, o índice mundial que a Open Knowledge desenvolve. Este ano, são novamente necessários os contributos da comunidade para classificar os datasets que existem, podes ajudar?

Queremos aproveitar para agradecer a todos os que tornam o Date With Data possível e incrível: a UPTEC PINC por acolher sempre os encontros que organizamos; e todos que participaram, alguns viajando quilómetros para se juntarem a nós.

Bom ano novo, e junta-te a nós nas próximas Dates ;)

1 de outubro: Date With Data #12

Vamos falar de turismo? Na nossa demanda por informação pública acessível a todas as pessoas, o tema do turismo veio ao de cima como algo que devíamos debruçar-nos. E é exatamente isso que vamos fazer no próximo Date With Data!

dwd-outubro2016

O aparecimento de novas formas de abordar e servir o turismo em Portugal, como as plataformas de aluguer a curto prazo, trouxeram um grande interesse ao tema do turismo e das cidades. É também incontornável a explosão que temos vivido no Porto no que toca a novas ofertas turísticas e os efeitos do turismo na cidade.

Que recursos existem para conseguirmos enquadrar histórica e socialmente o fenómeno do turismo atual? Existem fontes de informação pública que possamos aproveitar? E que esforços podemos levar a cabo para ajudar a compreender o que se passou e o que se está a passar?

Vem saciar a curiosidade connosco, com a certeza que será um dia bem passado na companhia dos novos e velhos projetos que vamos construindo e afinando. É já no dia 1 de outubro — apareces?

Sábado, dia 1, das 10:00 às 17:00 no UPTEC PINC (Praça Coronel Pacheco), temos encontro marcado. Traz o teu portátil!

#opendata / dia internacional / 22-02 / anda daí!

opendataday2014_newsletter

Estás convidado. De novo.

Um ótimo motivo para convocar ao encontro todos aqueles que se interessam por dados abertos, informação pública e interações possíveis entre tecnologia e cidadania.

DIA INTERNACIONAL DOS DADOS ABERTOS

22 de fevereiro de 2014 | Maus Hábitos | Porto
quarto dia internacional dos dados abertos é já no próximo dia 22 de fevereiro e vai ser celebrado simultaneamente em diversas cidades do globo. No Porto a magia acontece durante a tarde de sábado (22) no Maus Hábitos a partir das 14:30. Vai haver apresentações, discussão, troca de experiências… e se os ânimos por aí nos levarem, porque não um pouco de hacking? Esperamos juntar no Norte vários entusiastas de #OpenData em Portugal. Aparece e traz um amigo.

Para quê?
Para conhecer o que se vai fazendo nesta área, em território nacional e além, e assim inspirar novas aplicações, visualizações e publicações de análises usando dados abertos públicos. O #OpenDataDay também pretende encorajar a adoção de políticas de libertação de dados por instituições, governos locais, regionais e nacionais em todo o mundo.Vê como foi em 2013 no Porto.

Toda a gente deve vir
Programadores, designers, cientistas, jornalistas, bibliotecários, estatísticos e cidadãos. Se tens uma ideia para usar dados abertos, queres encontrar um projeto interessante para contribuir ou simplesmente queres ver o que está a acontecer, então deves sem dúvida aparecer no #OpenDataDay. Não interessa o teu nível de conhecimento, interesses ou domínio das ferramentas, vai haver muitas oportunidades para aprender e ajudar no crescimento da comunidade mundial de dados abertos.

Mais info: opendataday.org

Mais info: opendataday.org

O evento é obviamente aberto
Mas se puderes confirmar presença ficamos agradecidos (logísticas!). Deixa o teu nome aqui: wiki.opendataday.org/Porto2014 ou envia-nos uma mensagem para bomdia em transparenciahackday ponto org.

Se não puderes dar-nos o prazer da tua presença
Encontra-nos nos seguintes canais:
IRC: transparenciahackday.org/
chat

Twitter: #opendataday-pt
Mais info: opendataday.org [pt]

Este sábado, 19 de outubro, há Hackday!

thackday_out2013

Amanhã voltamos à carga com mais um Transparência Hackday.
Vamos combater a chuva com mãos na massa e trilhar caminho nos dados abertos.
Entre outros planos, vamos continuar a organização dos datasets que reunimos, escrever a próxima newsletter e definir um plano de organização para os hackdays vindouros.

Começamos às 14:00 no Maus Hábitos e continuamos até às 19:00.
Não é preciso ser hacker pra aparecer, apenas ter vontade! Por isso, anda ter connosco :)

Cartaz de Pedro Brochado.

Bom ano novo e prósperos dados abertos!

  • Não enxergas nada no Diário da República Eletrónico? O Tretas.org fez a magia.
  • Depois do Hackday Lisboa em Dezembro, entramos no ano a hackar no Porto: 26/01/2013
  • Vai pensando nisso e marca na agenda Hackathon International de Dados Abertos, 23/02/2013
  • Tens algum  tempo livre e queres ocupar as mãos? Hackpausas
  • Transparência sem Fronteiras

2013 só começou há duas semanas, mas já rola aí a melhor notícia do ano para a frente Transparência: o Helder Guerreiro e o Tretas.org oferecem ao mundo o novo Indexador do Diário da República Eletrónico. Lê a notícia no Público.

E que belo atiçador é este indexador para os mais inquietos espíritos hackers!
O próximo Hackday vai ser no Porto, no dia 26 de Janeiro. O  encontro está marcado para as 10:00 no café Ateneia; depois seguimos  para uma caça às devolutas. À tarde, a partir das 14:30, encontramos-nos no café livraria Gato Vadio para hackar.

“Durante os hackdays e hackathons não se discute política.” Este  e outros pormenores e regras que fomos estabelecendo ao longo de dois  anos de mãos na massa de forma a tornarmos os hackdays mais divertidos e  produtivos, podem ser conhecidos no resumo do primeiro Hackday Lisboa, em  Dezembro. Rumamos pela  primeira vez a outra cidade do país para potenciar novas interações  entre tecnologia e cidadania.
Apareceram no MOB vinte entusiastas dos  dados abertos e acesso à informação pública.

Mas vem aí mais: em Fevereiro vamos ter a Hackathon International de Dados Abertos 2013 também cá no Porto. Reserva o dia 23 na agenda e acrescenta o teu nome à lista de participantes! Vamos fazer coisa bonitas com dados abertos.

Eu é mais dados” – O que mais desejo para 2013 é uma [mala Chanel] tshirt Transparência Hackday! Vão sair fresquinhas para a hackathon de 23 de Fevereiro. Encomenda a tua até 26 de Janeiro para mandarmos fazer na quantidade certa! bomdia arroba transparenciahackday ponto org

Hackpausas

Queres ajudar? Tens algum  tempo livre e queres ocupar as mãos contribuindo com algo de útil para o THackday? Podes sempre adicionar casas no Geodevolutas.org, via google StreetView, ou se não hackas em linguagens de programação mas lhe dás nas linguagens em geral, um trabalho muito necessário é a tradução de documentos e artigos relevantes. Queres lançar a primeira pedra de um pad para a tradução colaborativa da Declaration on Parliamentary Openness? Há mais ideias no fórum!

Transparências sem fronteiras…

Saúde & Dados Abertos: Desperdício nas Prescrições Médicas

Um grupo de defensores do serviço nacional de saúde inglês decidiu visualizar o desperdício na prescrição de medicamentos proprietários face a alternativas genéricas. Uma visualização clara, junto com um argumentário conciso e acessível, resultam num exemplo óptimo de como o uso de dados abertos pode ser muito útil na discussão pública de assuntos de impacto social: http://prescribinganalytics.com/

“The Commons of Health Knowledge”. Produced for The Case for a Health Knowledge Commons NESTA October 2012. Design work by Cassie Robinson

O  Nodebox é uma ferramenta singular para criar imagens com recurso a  código e combinação de elementos. Entre um milhão de outras coisas,  também serve para visualizar dados, e encontrámos uma óptima  documentação para começar rapidamente a experimentar. Funciona em  GNU/Linux, Mac e Windows.
http://nodebox.net
http://nodebox.net/node/documentation/using/data-visualization.html

Lobby & Transparência: União Europeia Sob Pressão

Na União Europeia há uma resistência política considerável à cultura da transparência. No final do ano passado, um encontro em Bruxelas juntou organizações da sociedade civil, activistas digitais e diplomatas para debaterem a transparência, ética e participação dos cidadãos nos assuntos europeus. http://bit.ly/Z3SeBL

Participa no fórum | Já estás inscrito na mailing list? | Acompanha-nos no Twitter

Inscreve-te na nossa newsletter para passares a receber as novidades por e-mail!

News#07/11: Plataformas desvendadas | Hackdays Porto [24/11] & Nacional [01/12] | Hackathons Internacionais

Nas últimas semanas decorreram dois eventos onde o Transparência Hackday marcou presença. Proporcionámos uma oficina no festival Future Places dedicada ao mapeamento das casas abandonadas no Porto, um pretexto perfeito para apresentar publicamente o GeoDevolutas.org e começar a colocar pontos no mapa. Na semana seguinte embarcámos no Intercidades para participar activamente no evento do momento no que toca à transparência, open data e envolvimento cidadão: o Cidadania 2.0, onde apresentámos os projectos GeoDevolutas, Mila e Demo.cratica, e onde aproveitámos para criar laços com outras pessoas e esforços dedicados ao envolvimento cidadão activo e empenhado. Também houve tempo para hackar as bases de um novo projecto do THD, que anunciaremos muito em breve!  E ainda conseguimos dar um salto à 2ª conferência Cultura Pirata na Sociedade da Informação.

Conhece os projetos desvendados!

GeoDevolutas.org, uma plataforma de mapeamento fácil de propriedades devolutas, desenvolvida com base no exemplo do CasasTristes.org. A convite do Future Places organizámos o workshop Forgotten City e depois, no Maus Hábitos, houve apresentação pública e lançamento informal do site. Mas não nos ficamos por aí! Na semana seguinte, o GeoDevolutas.org passou à escala nacional com uma apresentação no Cidadania 2.0.

Mila é um mapa colaborativo de obstáculos para cidadãos com dificuldades motoras. Este work-in-progress também foi apresentado no Cidadania 2.0 pelo seu idealizador, Luis Lago, que se baseou na plataforma Crowdmap da Ushahidi e pretende vir a ser capaz de calcular os melhores percursos (não só o mais curto, mas também aquele com menos obstáculos) tendo em conta os dados inseridos na plataforma.

Continuar a ler